Por Jurema Cintra

 

Vi um agrônomo português dizer que fazer compostagem é um grande ato civilizatório. Fiquei intrigada com aquela frase e parei para refletir,  com tantos problemas como a fome, guerras, corrupção, instabilidade política, por que seria o ato de transformar o lixo domiciliar em composto orgânico seria algo tão grandioso? As inquietações desta frase me fizeram chegar a algumas ideias. A primeira de que se você pensa em fazer compostagem, neste momento você assumiu para si a responsabilidade sobre seu próprio lixo, superando as concepções de domínio do Estado, de que “é culpa ou responsabilidade do governo”. Agora como cidadão  ativo e capaz, rompe com essa ideologia de sistemas imovíveis , o velho “ah pra quê isso, não vai mudar nada mesmo” e nesta ruptura novos paradigmas começam a se tornar tão claros, a solução está em nossas próprias mãos.  A segunda constatação é que quando fazemos compostagem em casa, conseguimos superar o nosso próprio individualismo, veja bem, se a natureza é um patrimônio de todos, temos de fazer aquela pequena parte para que este meio-ambiente em que vivemos esteja saudável, deixar o egocentrismo para vivenciar a holismo. A terceira e última reflexão sobre o ato grandioso é de que a partir deste momento que tomo consciência de meu pequeno e quase insignificante lugar neste mundo grandioso e quando temos noção que nossa galáxia se forma a partir de seres minúsculos, até os grandes astros, nos damos conta de que para estarmos bem e felizes neste mundo  precisamos efetivamente fazer parte deste processo: cuidar, renovar o ciclo da vida.

Vamos agora por essas ideias em prática?

 

1- Você precisa decidir em que espaço de sua casa vai utilizar:

  • apartamento- caixas de compostagem menores
  • casa com área aberta- escolher um canto , fazer recuo com tijolos
  • casa com área coberta- tambores perfurados

2 – Precisa separar o lixo orgânico na sua cozinha

  •  tenha baldes separados um específico para os resíduos orgânicos e outro para resíduos sólidos
  • junte folhas secas, apara de grama ou palhagem

3 – Comece a montar sua pilha

  • 1 parte de resíduo orgânico
  • 3 partes de material seco(palhagem)

4 – Mantenha úmido

5 – Revire se achar necessário

6 – Se depois de 3 ou 4 meses o composto ficar grosso , passe numa peneira média. O que ficar na peneira volta para a pilha.

 

O RESULTADO É INCRÍVEL

Composto orgânico nutritivo e absolutamente de graça para adubar sua horta doméstica.

Mitos:

  • Não cheira mal, pois o alimento não apodrece, ele fermenta em até 70 graus
  • Não atrai moscas pois a última camada deve ser sempre de material seco
  • Não ocupa muito espaço, pode ser feita em apartamento, com a decomposição o volume diminui consideravelmente em 01 ou 2 semanas
  • Você pode compostar qualquer resíduo orgânico, contudo alguns demoram um pouco mais de tempo, como restos de carne, ossos e cascas de marisco, mas para quê a pressa mesmo? Só tenha cuidado com seus animais domésticos, eles podem querer revirar a pilha de compostagem. Para quem tem os bichanos “malinos” e sapecas o ideal é montar a pilha num local sem acesso dos pets ou em tambores.