Chile em 20 dias

Chile em 20 dias

Quem já acompanha o site viu uma série de posts da nossa viagem de final de ano pela América Latina e decidi agora falar de cada país.

Foram 20 dias intensos no Chile. Aparentemente muito não é!! Mas acredite, foi pouco , por que o país além de ser imenso em comprimento, tem ecossistemas bem diferentes, de geleiras à deserto, de lagos à arquipélagos.

Vou falar agora sobre itinerário de cidades e a segunda parte sobre as dicas básicas, lembrando que fomos no Verão e tudo muda, clima quente, pouca umidade, passeios absolutamente diferentes do inverno.

Nosso Roteiro :

08 dias em Santiago

4 dias em Santa Cruz e Valle do Colchagua

1 dia em Isla Negra (em trânsito)

3 dias em Vina Del Mar (Valparaiso)

4 dias em San Pedro do Atacama

 

Transporte :

Em Santiago fizemos tudo de metrô e Uber. Apenas no aeroporto onde Uber não chega e táxi é complicado, usamos o Transfer da empresa Transvip . Chegamos e pegamos logo um carro compartilhado que saiu bem mais barato e já acertamos ida e volta. Nem precisa agendar pois funciona 24 horas. Os taxistas te assediam no desembarque , foi algo surreal e intimidador, por isso que os uberistas não se arriscam de entrar lá.

Metrô em Santiago é fantástico, muito fácil de usar, basta baixar aplicativo no celular e se localizar, os pontos turísticos são muito bem servidos de metrô.

No 8 oitavo dia de viagem, alugamos carro no Aeroporto, lembram do Transfer de volta?? Pois é, fomos pegar o carro no aeroporto e de lá já partimos para Santa Cruz, afinal no dia 02/01 teríamos de ir pegar vôo para Atacama, assim, devolvemos o carro também no aeroporto e partimos, sem taxas adicionais, geralmente devolver em outra estação aumenta o valor da tarifa de aluguel. Usamos o seguro de carro de nosso cartão Visa, o que já foi outro custo a menos.

De carro de Santiago até o Vale do Colchagua foi super tranquilo , Ruta 5, muito boa, mega, hiper sinalizada, impossível errar e seguimos tudo pelo Waze, não alugamos GPS.

Fiz pesquisa pelo site Kaiak e achei a mais barata O’Carrol, empresa Chilena, muito boa, aprovada. Não ache estranho pois o funcionário te acompanhará do saguão do aeroporto até o estacionamento coberto e lá que faz todos os procedimentos em pé mesmo, não tinha balcão. Depois vi na internet que  é uma empresa grande.

O carro facilitou muito todos os passeios nas vinícolas, pois são próximas, mais em áreas rurais de Santa Cruz e San Fernando. E haja passeio para fazer neste vale maravilhoso.

Vina Las Ninas

Vina Las Ninas

Pegamos o carro e seguimos para Isla Negra , ver a Casa de Neruda; deixamos no estacionamento pago pois ouvi muitos boatos de furtos de  malas de turistas em veículos .

Almoçamos por lá e seguimos viagem dia 30/12 para Vina Del Mar onde passaríamos o Réveillon. O Waze nos mandou por uma estrada vicinal rural ao invés da principal, que eles chamam de Ruta. Achamos estranho mas fomos e deu tudo certo. O aplicativo estava, na verdade, nos desviando dos mega engarrafamentos. Vina é igual o Ano Novo do Rio de Janeiro, todos querem ir e lota demais.  Confesso que não tem muvuca nenhuma, a queima de fogos  é bem espalhada, democrática, por várias e várias praias  e eu amei !! Conto sobre este Reveillon aqui.

Alugamos Apartamento com garagem pelo AirBNB, muito bom e seguro. Em Vina é impossível achar uma vaga no dia 01/01. Impossível mesmo? Andamos kilometros e nada de uma vaguinha. O bom foi que conhecemos Vina até as parais mais distantes ,  por uma estrada linda, que beira o Pacífico e é uma baita obra de engenharia. Quer ganhar desconto no air bnb? Clica aqui

De Vina del Mar para Valparaiso fomos de Metrô, muito bom. Fizemos free walking tour, andamos bastante, subimos para Casa de Pablo Neruda- La Sebastiana de Uber, pois é uma ladeira cruel e o ascensor(plano inclinado)estava quebrado, para descer bem mais fácil.

Dia 02/01 acordamos cedo e vimos o trânsito no Waze até o aeroporto e tinha engarrafamento. Nos adiantamos e chegamos tranquilo, devolvemos o carro.

Seguimos viagem de avião até Calama. Comprei na Skyairlines, muito mais barata, empresa  local que faz voos dentro do Chile.

Chegando no moderno aeroporto de Calama ainda restava 1 hora até San Pedro de Atacama , estrada linda que já vai te ambientar com o deserto. Tente chegar antes do por do sol. Assim vê a estrada pelo dia com luminosidade. Nosso voo atrasou e perdemos o espetáculo.

Tem Transfer no aeroporto atendo até o último voo da noite.  Reservei antes mas foi totalmente desnecessário. O que aconteceu ?? Não gostei da empresa Licancabur, eles esperam o ônibus antigo encher, lotar e isso demorou demais , estava muito frio.

Licancabur- San pedro atacama

Se você comprar lá na hora , já sai no próximo carro imediatamente. Os preços são tabelados, tudo igual. Não vai mudar nada você reservar antes ou pegar na hora. Gostei dos carros da Transvip e saia todo tempo, não precisava reservar. Já ficam no saguão, os agentes oferecendo.

Em SAN Pedro fizemos passeios com Agência. Tudo lá é complicado e dirigir só se você tiver muita habilidade e coragem.

Depois de 04 dias pegamos um Transfer até Hito Cajon para Bolívia , aqui acaba nossa aventura no Chile e começa a do Uyuni que contei tudinho aqui.


 

Dicas Chile:

Uma coisa que aprendi no Chile foi beber água o tempo todo.

No verão é muito seco e quente. Sem água seu corpo vai sentir demais.

Meu kit sobrevivência também vale para o inverno, é,  neve queima e precisa de protetor solar diariamente e repassar viu???

Kit:

1 protetor solar corporal

1 bloqueador solar facial (+ alto que achar)

1 sorine

1 garrafinha de água (squeeze)

1 protetor labial

1 hidratante corporal

1 hidratante para o rosto

1 colírio

Subindo para 2 mil, 3 mil ,4000 metros tem de beber água de 10 em 10 minutos, são pequenos goles que vão aliviar os sintomas ou evitar o Soroche. Isso me salvou no deserto e quem vai subir para as estações de esqui salvará também. Como disse anteriormente, fui no verão mas estive no deserto que é frio e alto. Soroche é algo que você deve evitar, o mal de altitude é horrível e pode estragar seu passeio.


Internet:

1 chip comprado lá mesmo no aeroporto é essencial. Ou você pode comprar um chip internacional de diversas empresas que vendem no Brasil.


Câmbio:

No aeroporto é péssimo. Vá em Providência ou na Calle Augustina no Centro, são as melhores cotações. Aeroporto eu troco apenas 100 reais para não ficar pura. Paguei Transfer da Transvip no cartão de crédito, já para evitar transtornos com taxistas e notas falsas( problema em todo mundo não apenas no Chile)


Segurança:

Achei Santiago muito segura, mas qualquer lugar turístico tem seus problemas. Cuidado com os batedores de carteira. Então , os mesmos esquemas que temos no Brasil. Andar com bolsa e mochila para frente . Cuidado em metrô e na rua. Cuidado com celular.

Adoro blusas que tem bolsos internos, assim guardo tudo escondido e fico com as mãos livres.

Cuidado com golpistas, que deixam dinheiro cair, que fingem cair ao seu lado, que fingem passar mal, que pedem ajuda com dinheiro. Lemos um panfleto do Consulado do Brasil no Chile que estava sendo distribuído em shoppings. Imagina como deve ser corriqueiro, para um órgão público diplomático emitir tais panfletos.


Compras :

Amamos ! No verão comprei roupa de inverno e esportiva com muito desconto e promoções. Nos principais shopping’s tem o cartão de desconto do turista estrangeiro. Vá sempre na recepção e peça seu cartão de desconto e o caderno com as lojas participantes, apresentando seu passaporte ou RG e se joga !!! Por isso o legal de ir com pouca coisa na mala e ter espaço para comprar algo legal. Santiago tem shoppings de material esportivo, roupa de frio muito boa e com variedade incrível, que esquenta bem. Quem é do Nordeste sabe que essas roupas só usamos em viagens e em algum inverno um pouquinho mais puxado, por isso gosto de investir em peças boas e coringas, que vão servir para outras viagens e que combine com o que já tenho.

Amei conhecer a pedra Lápis Lazuli. Linda demais . E só compramos de lembrança ímãs de geladeira pois ainda teríamos semanas de viagem pela frente.

Cobre: cada item de cobre maravilhoso, muitos para decoração. Repito, vá com menos coisas na mala e volte com lembranças úteis!! Peças que você sempre lembrará daquela viagem maravilhosa.

Vinhos: leia antes as regras de cada companhia aérea. Prefira os que você não acha no Brasil de jeito nenhum. Cassilero Del Diablo, por exemplo, para que trazer se acha facinho em qualquer mercado no Brasil???

Agora, aquela vinícola pequena, quase artesanal, que você jantou, que tem um reserva especial, que no Brasil não chega, vale demais levar umas garrafinhas. Sugestão são os vinhos Rosé do Chile, considerei especiais.


Roupa:

Verão : as mesmas do Brasil, muito quente mesmo e tênis!!! Você vai andar muito.

Inverno : roupas térmicas e botas impermeável.

Sinceramente não oriento ninguém levar sapato alto, ou bota com salto. Só se for para tirar uma foto e guardar na mochila novamente(depois a gente discute esse excesso de vaidade). Santiago é uma delícia para andar. Sapato alto pesa, incomoda e não é nada prático.  Adoro proteger meus pés. Até sapatilha eu estou evitando. Por quê??? Eu não aprendi; certa feita em Portugal e agora na Bolívia, o dia estava lindo e sai de sapatilha, somente. Aí deu uma chuva inusitada, meus pés molharam, eu tive de comprar um sapato em Braga(Portugal). Na Bolívia tive de comprar uma meia térmica de lã, bem grossa na primeira loja que achei. A gente não conhece o clima ou subestima e pés gelados é uma porta para gripe. Incomoda demais e dá uma agonia que estraga seu dia. Não dá para voltar no hotel só para colocar a bota. E a Chuva, foi A CHUVA!!!!! Fiquei de pés molhados, comprei a meia, parei num banheiro, fui enxugar, secar, mas continuou chovendo. Estou aprendendo na marra.

Eu sou morta de frio, então quando viajo levo blusa e calça térmica, gorro, chapéu, luvas de couro, blusas de la, sweater, pijama de flanela, cachecol. Quando a viagem é urbana levo sobretudo bem pesado e grosso, quando tem passeios de natureza levo casaco térmico de fleece. Compramos um casaco duplo na Columbia, em Santiago , o preço estava ótimo, pois era verão e coleção antiga estava em promoção. Isso que eu falo, aproveita a viagem para comprar coisas úteis, legais e com preço bom.

Seguro Viagem:

Não tem como viajar para o exterior e não adquirir seguro viagem. Compramos passagens com milhas, mas pagamos as taxas de embarque no cartão,  a Visa fornece seguro para mim e meu esposo gratuitamente. Mas veja as regras direitinho para cada cartão, ainda mais quem for fazer esporte radical. Sempre tem boas promoções e se seu cartão está no limite, veja este site,  faça cotações entre várias empresas e emita seu boleto.

Mas Jurema, cadê as fotos maravilhosas deste país encantador????? Ficou curioso? Curiosa? Curiosx?? Então dá uma passada em nosso Instagram @juremacintra que falo bastante, inclusive com Destaques no Stories .

Leia também:  Salar do Uyuni sem perrengues

                           América Latina – como preparar mala de calor e frio na mesma viagem

                           Reveillon em Viña del Mar – como é?

Bistrô da Onça – para além do Vale do Capão

Bistrô da Onça – para além do Vale do Capão

Tempos que não tinha uma experiência gastronômica tão intensa.

E foi muito especial, por que nasci em Seabra na Chapada Diamantina, região belíssima no Centro da Bahia, nem sempre fácil de chegar e que já falei aqui sobre os caminhos.

Paraíso de Cachoeiras, trilhas, montanhas e paisagens deslumbrantes. De um povo criativo e uma culinária riquíssima.

Visitando os familiares na semana Santa, meu adorado primo agendou um almoço no Bistrô da Onça. Disse que eu iria gostar muito, que estava viajando demais para o exterior e precisava redescobrir a Chapada. Em parte tinha razão, por que estamos desbravando terras estrangeiras , contudo me sinto cidadã no mundo, onde estas fronteiras não existem.

11 horas da manhã saímos de Seabra, rumo 38 km para Palmeiras, via BR 242. Quem já está no Vale do Capão precisará de carro ou transfer.

Meu primo ia me contando no caminho e eu ficava cada vez mais ansiosa. Conhecer um restaurante no meio do mato, numa serra, ele me alertou: – comida vegetariana viu? mas se come muito.

Eu adoro comida vegana e vegetariana, aliás adoramos comer, o que importa é está gostosa. Como ele já tinha ido com a esposa outras vezes foram rasgando elogios aos donos.

Quando chegamos em Palmeiras, cidade que adoro e tem a casa mais linda da Chapada(no meu modesto entendimento), seguimos a sinalização no sentido do Capão. Quando termina o calçamento terá uma placa, então vire à DIREITA :

Resultado de imagem para vale do capão guine placa

foto: seligachapada.com.br

São mais 08 km adentro de estrada de chão. Carros muito baixos podem ter dificuldade.

É aparentemente longe, meio do mato, mas vale cada minuto da jornada.

Começam as placas do Bistrô da Onça, tem muitas indicações, até chegar no estacionamento.  Nosite do restaurante tem tudo bem descrito, não tem dificuldade.

A chegada já é uma surpresa, pois tem de deixar o carro 250 metros antes e ir andando. Você conhecerá a Horta orgânica, sintrópica de onde vem praticamente tudo que é servido nas mesas. Curiosa que sou, entrei e vi tudo, os processos agroecológicos, identifiquei um montão de coisas legais, a cobertura vegetal com palha de arroz vermelho, a cerca verde de palma, o galinheiro, as plantas misturadas seguindo a lógica da sintropia. Nem conversei sobre isso com os proprietários, espero estar certa… encontrar restaurantes que pensem em sustentabilidade é sempre um prazer, já escrevemo sobre este tema.

Só com reserva via Zap ou Facebook por que são apenas 4 mesas, tudo muito exclusivo e preparado na hora.

Amando tudo, desde a entrada, a casa numa arquitetura que dialoga com a mata, com a natureza,  banheiro todo aberto com vista para a serra.

Adega com rótulos incríveis e baratos, em comparação à distância, 100, 120 reais e aceita cartão. Pois é, lá nomeio da serra, a internet e a tecnologia nos unindo a Carlos e Jeff. Os proprietários e chefs que fazem tudo ali mesmo numa cozinha aberta. Nem vou colocar tantas fotos que é para não estragar o momento.

Queria comer daquela forma todos os dias, quanto primor, beleza, bom gosto, sabor intenso e marcante. AMAMOS!! Toda vez que for em Seabra terei de reservar um dia lá. Você que vai pro Vale do Capão, é perto  e incrível, aluga um carro por 1 dia, contrata um transfer, ajusta horários, por que é um passeio imperdível para tarde toda. Chegamos por volta das 13:00 e só saímos 16:40. Aliás alugar um carro para visitar a Chapada é providencial por que te dá muito mais mobilidade  para percorrer a zona rural de diversas cidades.

Como foram os pratos:

  • Chá gelado à vontade
  • Entrada/aperitivos
  • Sopa 
  • Salada com folhas e flores colhidos na hora 
  • Prato principal com pão Chapati  
  • Sobremesa
  • Claro- um bom brinde com vinho Argentino para homenagear o Carlos, que saiu da Argentina e veio nos presentear com tamanho bom gosto.

Ainda estou com os sabores e aromas na mente, impregnados. O cardápio depende da estação, da sazonalidade, tudo ali respeita a natureza e o ciclo da vida. Imagina minha angústia em saber que cada vez que formos terá pratos diferentes, minha nossa !!! A memória gustativa é algo muito forte e intenso, a salada com mostarda negra crocante e molho de vinagre de abacaxi e mostarda artesanal, me marcou muito. Também a sopa de cenoura que conseguiu ser tão boa quanto a da Bar Sete Maravilhas no Porto que já contei aqui.

O banheiro é um espetáculo a parte, a casa, a vista, a visão panorâmica da serra da Guiné, entrada para o Vale do Pati. Tudo perfeito. Na porta vimos uma revista aberta, da Azul. Adoro revista de avião, a gente descobre muita coisa escondidinha e tinha uma reportagem belíssima sobre o Bistrô da Onça, que você pode acessar aqui.

Últimas informações, como os donos trabalham sozinhos é preciso verificar antes os dias de funcionamento, em março de 2018 quando estivemos lá só funcionava de quinta à domingo. Tem de reservar pelo Zap ou Facebook, ligue antes para não haver imprevistos. Aberto apenas para almoço. Valor fixo por pessoa é de 100 reais em 2018.(vale cada centavo, muita comida de excelente qualidade – gente COMI DEMAIS). Aceita cartão de débito ou crédito. Comida Vegetariana, mas acredite você nem sentirá falta da carne. Nada como tirar 1 dia e comer algo diferente e muito saudável. A Chapada Diamantina é muito grande e diversa. Vale do capão é muito mais que somente a Vila. A Guiné tem seus encantos de vilarejo pequeno e agora tem restaurante digno de qualquer capital. Aventure-se para além do básico e #botarodinhanospés

Leia também : Caminhos para Chapada Diamantina- rodovias pela Bahia

                           Restaurantes e Sustentabilidade

                           Dicas de Ilhéus- curtindo as prais no verão

                           Ilhéus- Giro Gastronômico

Acompanhe nosso Instagram: @juremacintra – Advogada que Viaja

Salar do Uyuni sem perrengues – aventura na Bolívia

Salar do Uyuni sem perrengues – aventura na Bolívia

O Salar do Uyuni com certeza foi o lugar mais incrível que já visitei. É de uma imensidão inexplicável.

Você vê as fotos dos viajantes, milhares de posições, céu estrelado, mas nada é igual ao dia que você coloca seus pés lá e sente aquela energia toda.  Nossa viagem de férias seria apenas para o Chile, como já falei anteriormente,  decidindo por 3 países: Chile, Bolívia e Colômbia e denominei Expedição Sangue Latino, conhecer e desbravar a cultura andina. Comprei as passagens e começou a luta de reservas de hotéis, melhores bairros no AirBNB, agências.

Ao pesquisar sites e conversar com 2 amigos que já tinha ido ao Uyuni, chega deu aquele desespero… só me contavam perrengues, situações precárias: 2 dias sem tomar banho, comer banana e atum em lata todos os dias, furto em albergue, dormir sem calefação e com 3 casacos, alojamentos e banheiros imundos. Fiquei aterrorizada, só que eles contavam essas histórias de forma muito feliz, por que sempre afirmavam que a experiência tinha sido única, lugares belíssimos e que valia a pena.

Como gosto de blogs de viajantes… foi um destes que me salvou, por que se eu chegasse com meu esposo num alojamento no meio do deserto sem banho quente e com quartos coletivos, era divórcio certo. Já acampei, adoro roça, sei cozinhar em fogo de chão, faço qualquer coisa… se precisar. Como atualmente já passei dos 30 anos, não estava disposta a passar por perrengues.

Num desses relatos, o viajante falava que bastava pagar um pouco mais para ter ter todo o conforto na Bolívia, não estou falando de LUXO, ok, nem tenho condições para isso, mas o conforto, o básico, condições razoáveis para uma viagem de aventura.

Assim, achei a indicação da empresa Creative Tour que a mesma da Uyuni Expeditions (acho que é apenas o nome do serviço) , empresa Boliviana antiga, com sede em Uyuni, Cochabamba e outras cidades.

 

COMO CHEGAR ? COMO SAIR ?

Viemos de San Pedro de Atacama, preferimos fazer essa casadinha Atacama e Uyuni. Afinal é preciso muita disposição para aguentar as durezas dos Altiplanos Chileno e  Boliviano.  Na Travessia não tem somente o salar branco e inconfundível, tem montanhas, vulcões, lagoas de cores variadas, cânion, pueblos, museus, múmias, fauna e flora desafiadora devido ás condições climáticas extremas.

Laguna Colorada – #semfiltro #nofilter

O transfer nos levou do Hotel Quechua até a fronteira com a Bolívia. Para facilitar foi esse Hotel que escolhemos, na esquina da Rua Caracoles e com bom custo benefício. Perto no centrinho, mas sem o barulho do Centro, dormia e acordava com os pássaros. Não precisamos ficar levando mala nas ruas de barro de San Pedro, nem agendar um taxi para tão perto, ficamos lá mesmo e foi ótimo para nossos passeios no Chile também. Os carros da Coque Tours(transfer) já dormem no estacionamento do Quechua Hotel, então foi bem tranquilo, sem dificuldade com as malas, afinal eram 24 dias de viagem e expliquei como preparamos nossa bagagem aqui. 

De lá o carro da Creative com nosso Motorista boliviano Cesar, já estava nos esperando com Snacks, o roteiro, água, carro com GPS, oxigênio. Nossas malas foram dentro do carro que era bastante espaçoso. Tour semi-privativo com 4 pessoas, vieram 2 australianas muito gentis que fizemos amizade.Baiano é muito dado mesmo!!!

De La Paz, tem avião pela BOA e pela Amaszonas, todo dia, vários horários. A  BOA é bem maior, mas não consegui comprar pela Net. Talvez a agência Creative Tour ou outra boliviana possa ajudar a emitir os bilhetes, pois são mais baratos. Na Bolívia não funciona Paypal, pagamento internacional é um problema.  Voltamos de Uyuni para La Paz, vôo só de ida, pela Amaszonas, jato pequeno, portanto não cabe nada de bagagem de mão, eles vão despachar no porão sem cobrar   taxa extra, mas se você tem aquela bolsinha de mão chique, ou colocou dinheiro, máquina fotográfica, eletrônicos… melhor  levar uma mochilinha bem menor para retirar esses itens mais caros. Consegui comprar pela internet.

Não sei como é a experiência de ônibus, só andei em rodovias na Bolívia de La Paz para Copacabana, tinha muito engarrafamento e a estrada estava em manutenção, muitas obras, trânsito lento.

 

ESTRUTURA E SERVIÇO OFERECIDO

 

Durante os 3 dias que fiquei em San Pedro eu via as fotos das centenas de agência e me deliciava, mas quando via os carros passando com 6 pessoas dentro, só pode levar 1 mochila pequena, e ouvia conversas das dificuldades me assustava, era um misto de sensações.

Chegamos na fronteira da Bolívia e nosso transfer da Coque Tour agilizou o procedimento e conseguiu nossos carimbos, por que a fila era imensa… faz muito frio… muito vento… vá agasalhado e com roupas térmicas, nem que você tire depois no caminho.

Fronteira Chile- Bolívia- Hito Cajon

Nosso carro era bem novo e equipado, vou listar abaixo o que tivemos e o que outras empresas não oferecem ou é diferente estará em azul e que achei essencial para nossa viagem ser bem tranquila :

Tour semi-privativo com 4 pessoas ;

Água mineral à vontade;

Todas as Bagagens dentro do veículo ;

2 diárias em Hotel no Deserto e no Salar da Rede Tayka;

Quartos duplos com banheiro privativo;

Hotel com Calefação, banho quente, internet(lenta mas dava para o básico);

3 refeições com vinho no almoço;

Jantar com vista panorâmica

Snacks;

Ingressos aos parques incluídos;

Motorista que também é guia;

Carro com GPS/oxigênio/telefone de satélite;

Assistência remota com a equipe da Creative;

PAGAMENTO 

Confesso que essa parte foi a que mais me preocupou. É bem mais caro que os pacotes contratados diretamente em San Pedro de Atacama e no Uyuni, que ficam entre 200 e 300 dólares.  Como li avaliações no TriAdvisor  me encorajou. Por isso repito: pessoas reais, avaliem empresas reais, isto ajudam muito, escrevam , comentem.

Troquei diversos e-mails com a Verônica, demoraram um pouco de responder, mas depois de muitas mensagens, tirar dúvidas, agendei com antecedência e paguei via Western Union que aqui na minha região tem dentro das lojas Riachuelo(hoje com o boicote nem sei se entro mais lá, sou advogada de Direitos Humanos e o movimento LGBT está numa campanha, devido as publicações homofóbicas do proprietário). Turismo consciente tem tudo haver com este Blog. Banco do Brasil também faz esta transferência para Bolívia. Não consegui via Transferwise pois pedia um código de 9 números que ninguém conseguiu decifrar. Também não cobrava pelo cartão.

Fiquei tensa, enviar dólares para o exterior para uma pessoa física que nunca vi. Se você está se sentindo assim, tem algumas precauções, primeiro eu avaliei o site, a empresa, eu recebia mails oficiais, site seguro. Depois vi as avaliações no Trip Advisor, depois procurei pessoas que já tinham contratado pelas redes sociais, fui no Google Street View ver a rua ,se sede física  era real e  pimba. Escolhi a Creative Tours.

Este post não é patrocinado, ok, não recebi nenhum tipo de vantagem de nenhuma empresa aqui citada e paguei meu passeio integralmente. Fizemos uma parceria apenas este mês para os meus leitores,  quem ganha são vocês e eu agradeço muito quem está passando por aqui para ler este artigo, lembrando tem uma surpresinha lá no final.

 

OUTROS FORMATOS DE TOURS e INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS

Demais Tours das Agências, pelo menos o que pude perceber, são desta forma:

6 pessoas no veículo e 2  vão no banco que reclina no bagageiro, então o motorista vai revezando as pessoas cada dia para não cansar;

Água é cara demais no Chile e Bolívia, e você terá de levar seu garrafão(5/6 litros), afinal serão 3 ou 4 dias, ainda terá de comprar mais nos mercados improvisados nos povoados do deserto;

Sendo transporte com 6 pessoas não terá tanto espaço dentro do veículo para tanta bagagem, então sua mala maior terá de ir no bagageiro superior amarrado e só devolve no final do percurso, pense na cor e na poeira, serão 600 km de estrada de chão. Já  sua mochila com os itens  básicos tem de ir com você dentro do veículo, muitos optam pelo locker no Uyuni ou em San Pedro, para guardar mala maior e só ir com o básicos dos 3/4 dias;

Paradas e hospedagem são em alojamentos, hostal no meio do deserto: é uma opção bem comum por lá. Como falei antes eu não faria, mas cada pessoa tem seu estilo de viagem, precisamos respeitar. O mais importante é informação, então pergunte tudo antes, se tem janelas, se tem banheiro adequado, quanto custa, se tem banho quente, se tem quarto masculino e feminino separados, quantas camas por quarto, pergunte sobre cobertas, talvez precise de saco de dormir. Pergunte e veja fotografias. Tem alojamentos que não tem LUZ, é bem roots.

Banheiro é um assunto frequente quando falamos em Bolívia. Deixei de ir nas Termas de Polques por que o Banheiro para trocar de roupa estava impraticável, já no Pueblo de Coquesa e Isla Incahuasi estava mega limpo.  Infelizmente em alguma paradas pude ver que, os viajantes para economizar grana, fazem suas necessidades fisiológicas ao redor dos alojamentos e hostal, e sujam todo o entorno dos parques, as lagoas, um absurdo, tudo isso para não pagar 5 bolivianos.

Também pergunte sobre os valores de uso de banheiro e dos parques, assim, você leva a quantidades de bolivianos adequada. Também aceita pesos chilenos.

Calefação ou a falta dela é tema relevante. No meio do deserto não tem luz elétrica, não tem água encanada, tudo depende de geradores ou energia solar, eólica, pergunte sobre banho quente. Os banheiros são coletivos, entrei em 2 para uso no meio da viagem, não sei como era à noite com o frio que cai sobre o deserto. 

Refeições são preparadas pelo próprio motorista. Não tem água doce no deserto, é rara, você verá caminhões-pipa transitando, é produto raro e caro. As refeições eram bem simples, por que 2 vezes vi o nosso motorista montando nosso almoço e via as mesas as lado com 1 banana, atum em latinha, milho, rodelas de tomate. Comida simples, tudo bem, só aviso que será isso por 3 dias, então o bom já é saber o que vai acontecer para não levar sustos. Se você retornar para San Pedro de Atacama lembre-se de não trazer NADA de comida ou vegetal ou animal; tem cachorros na alfândega e as multas são altas, o controle sanitário no Chile é rigoroso, não vacile com aquela maçã.

Maioria das agências você que comprará seus ingressos, lá mesmo na hora, então planeje-se e sempre tenha bolivianos extras para souvenir, banheiro, lanches e os tickets, tem de pagara para entrar em todos os locais e no caminho, nas reservas que são administradas pelas comunidades tradicionais locais.

Veja fotos dos carros da empresa nos sites como Tripadvisor, ficar no meio do deserto por causa de um carro velho quebrado não deve ser nada agradável.  

De forma alguma estou desestimulando ou maculando alguma agência, só faço relatos do que vi, para que você escolha seu perfil de viagem, algumas pessoas acham ótimo e contam sorrindo seus percalços e perrengues na Bolívia, outros contam chorando e se lastimando. Viagem boa, é aquela que se adéqua ao seu orçamento e ao seu perfil. Eu me diverti demais. Se passasse pelas situações acima teria voltado solteira e infeliz, mas isso é algo pessoal, ok. As informações são para contextualizar.

 

DIVERSÃO

Nem preciso reafirmar como é lindo, magnífico, como o Uyuni é mágico. O altiplano boliviano tem efeitos especiais de verdade, CRIADOS PELA PRÓPRIA NATUREZA esplendorosa.

Tínhamos as paradas programadas, mas como éramos apenas 4 fomos optando e pedindo paradinhas especiais, demorava menos em um lugar, mais em  outro, dependendo das condições climáticas e do nosso ritmo.

As fotos são um caso a parte, são milhares e quantos gigas você tiver no seu MicroChip irá lotar. Aquelas de perspectiva são difíceis, mas nosso guia César arrasou e tinha a maior disposição.

Leia também: Como prepara Mala para Uyuni- calor e frio

                          Expedição Sangue Latino- roteiro Chile, Bolívia e Colômbia

                          Primeira Viagem internacional- vencendo medos e barreiras

 

HOSPEDAGEM

A rede Tayka tem uma estrutura muito boa. O Tayka del Desierto reúne os viajantes de todas as rotas, de quem vem no Chile, de quem vem de diversas estradas da Bolívia, por isso lotou!!!

Se você quer se hospedar em Hotel, acredito que deva fazer com antecedência mínima. Quase fomos surpreendidos, pois bem naquela época iria passar o Ralidakar, então os preços subiram, mas nós já tínhamos contratado antes de sair a programação. Foi tudo tranquilo e ainda vimos o Dakar em La Paz.

 

Existem várias regrinhas. Pedem para carregar os eletrônicos até às 20:00 enquanto tem corrente nas tomadas.  Para tomar banho o mais cedo possível por que a água é aquecida com energia solar. Tem farmacinha e oxigênio. Muito útil e muito usado pelos hóspedes, já que estamos 4400 metros acima do nível do mar. Quartos muito limpos, bem decorados e com amenidades(shampoo/condicionador/sabonete).  Quem está viajando por muito tempo, isto já é algo para levar na mala e poupar peso. Cobertas quentinhas e uma janela com vista para o céu estrelado. Era o conforto  que precisávamos depois de 1 dia exaustivo

No outro dia dormimos no TAIKA de Sal, muito lindo também, já dentro do Pueblo, nas margens do Salar, então tinha luz elétrica à vontade. Podíamos caminhar  bem dentro do Uyuni.

Nosso motorista nos acompanhava em todos os momentos, e dormia no mesmo Hotel, nos quartos para os “chofers”e também fazia refeições conosco, além disso foi nosso guia e amigo pelos 3 longos e maravilhosos dias de travessia. Imagina o tanto de perguntas que eu fazia … César foi muito, muito… paciente.

Bebidas são pagas em separado e aceitam boliviano, peso chileno ou dólar.

 

ALIMENTAÇÃO

Quando falei que ia para Bolívia meus amigos médicos logo me passavam 1000 recomendações: “não coma comida de rua “, “cuidado com contaminação”, “leva remédio”.

Enfim, viajar para outro país é sempre um choque para seu estômago também.

Mas foi tudo tranquilo pelo Uyuni. A comida foi simples porém adequada, podia melhorar só um pouquinho no almoço, um azeite de Oliva do vizinho Chile já resolvia!! Fiz sugestões à equipe que logo disse que irá atender.

Tinha verduras e vegetais. Café da manhã e Janta sempre nos Hotéis Tayka com vista incrível panorâmica, isto sim, foi UM LUXO.

De manhã as raposas andavam próximas, e este bom-dia da natureza abria nossos trabalhos desbravadores.

No Café da manhã, pão quentinho feito no próprio hotel, muitos chás, frutas, queijos.

No Jantar, entrada era Sopa de Quinua, prato principal com carne e sobremesa. Tudo muito saboroso, e tem opção para vegetarianos também.  Sopa de quinoa é algo que te acompanhará em toda a Bolívia … as sopas do Hotel estavam deliciosas, afinal eles plantam quinoa no altiplano, naquela altitude, bem pertinho já avistamos as plantações e os produtores. Nunca mais na vida eu reclamo do preço da quinoa, é um trabalho hercúleo dos povos tradicionais, primeiro por terem protegido e cuidado das sementes para as gerações seguintes, segundo o próprio cultivo em altitude, é um desafio.

E aí?? Se empolgou para fazer esta belíssima travessia? É daqueles passeios que estavam na minha listinha para fazer 1 vez na vida.

Crie coragem, economize, pesquise, das centenas de agências alguma caberá em seu orçamento. Se você quiser contratar o passeio da Creative Tour, envie mail para veronica.zambrana@creativetours.com.bo, diga que leu a recomendação do site juremacintra.com e terá 5% de desconto.

 

 

Giro Gastronômico Ilhéus- Parte 3

Giro Gastronômico Ilhéus- Parte 3

por Jurema Cintra Barreto – amante de viagens e gastronomia


Ando escrevendo muito sobre as viagens ao exterior. É delicioso se debruçar sobre o que amamos. Meu amado esposo vem me cobrando os textos sobre nossa região sul da Bahia em que vivemos. Então vamos compartilhar com nossos leitores os locais onde gostamos de comer, beber e petiscar.

 

BAR VESÚVIO – Era  e É o Bar mais famoso da Cidade. Está nos livros de Jorge Amado. Situado bem na frente da Catedral de Ilhéus, é ponto certo de turistas. Andava meio decadente. Empresários arredaram e depois de uma Reforma ficou lindo e é administrado pelo Buteco do Posto, com uma culinária muito boa. Vários pratos árabes. O babaganush, que é uma pasta de beringela com pães sírios, é de comer rezando. Para quem não conhece comida árabe vale a pena pedir um prato que vem como um pouquinho de cada coisa.  Outra pedida boa é a linguiça alemã e o filé ou camarão gratinado que vem dentro de um pão italiano com creme de queijos, é BOM, BOM, BOMBOM!!!

Nos finais de semana você verá uma fila grande, mas logo, logo anda, nada demais, 5 ou 10 minutos. O Chopp é geladíssimo, drinks deliciosos, amo o Cozumel e a rapidez do atendimento é o ponto forte. Pessoalmente acredito que o memorial do vesúvio e a decoração poderia ser mais fiel à original, mesmo assim gostamos muito, o empreendimento ficou fantástico.

pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito

como chegar: de ônibus qualquer linha que pare no Centro(ponto do Hospital São José ou Terminal), aí você terá de ir andando o restante do percurso. Se você vai beber, seja morador da cidade ou turista vá de táxi ou Uber, a lei exige e não tem nada mais libertador que beber o que quiser sem se preocupar com a multa ou com o possível crime que está cometendo. Sim, já tem Uber em Ilhéus, está funcionando meio capengando, muitas vezes não aparece carro disponível. ALÔ UBERISTAS DE ILHÉUS, CADÊ VOCÊS???? Quer desconto em sua primeira viagem? Use o código MSHW1TZYUE e de cara ganhe 20 reais. Pelos preços e distâncias de Ilhéus, já sai de graça sua ida ao famoso Vesúvio.

preço: $$


MAROSTICA – Situado no centro na Avenida Dois de Julho, é aquele lugar em que no verão fica muito cheio e no restante do ano é bucólico e delicioso. Adoro ver o mar dali, já morei naquela rua e amo o clima da 2 de Julho. Os moradores se conhecem, enfim…

O Marostica tem pratos italianos, massas artesanais, filé muito suculento, de vez em quando tem uma carne argentina perfeita e uma carta de vinho sortida. Comida é excelente. Gostamos do Espaguete ao frutos do mar, dos risotos, do filé, bife de chorizo com risoto de banana. Tudo lá é bom. Os pratos são bem servidos e você ficará satisfeito. Se estiver com amigos, as vezes não tem no cardápio, mas pergunte da Burrata, é MA-RA-VI-LHO-SA!! Entradas e carpaccios são muito bons. Sobremesas idem. Para Ilhéus não é tão barato, mas vale pela qualidade. Quer um jantar romântico ? Ou cansou de comida baiana com dendê? Marostica é o ideal.

Tem espaço no primeiro andar com ar condicionado que é bom para fazer encontros com amigos ou reuniões.

 

pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito

como chegar: de ônibus qualquer linha que pare no Centro(ponto do Hospital São José ou Terminal), aí você terá de ir andando o restante dopercurso. De carro, anote aí o endereço Av. Dois de Julho, 966, Centro, Ilhéus, tem muito estacionamento fácil.

preço: $$$


TOP- barzinho, restaurante e agora pizzaria, está situado na Avenida Lomanto Junior, no finalzinho da Orla do Pontal. Tem mesas bem agradáveis no deck na beira da baía e também tem mesas internas, se você está com crianças é tranquilo. Atendimento é rápido e a vista do pôr-do-sol é linda. Cerveja gelada, pratos muito bons. A pizza é saborosa também. Esse verão de 2018 os preços deram uma crescida. Gostamos do vinagrete de polvo como entrada e tem o peixe cozido com legumes que é imenso, dá para 3 pessoas.

peixe cozido com legumes

Espaguete ao frutos do mar também é boa pedida. O TOP não está no Tripadvisor, acho que os donos ainda não descobriram esta ferramenta tão legal. O bar é organizado e atendimento rápido com garçons gentis.

Vista fantástica da Baia

pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito

como chegar: de ônibus qualquer linha para Zona Sul (Nelson Costa, Hernane Sá, Ceplus, Olivença), saltar no ponto da Rua 13 de maio.  De carro, anote aí o endereço Av. Lomanto Junior, 1820, bairro Pontal, Ilhéus, tem muito estacionamento fácil.

preço: $$


BARRACA ESPELHO DÁGUA – Vou me dedicar a fazer um ranking das barracas de praia do Sul de lhéus. São dezenas e tenho certeza que quando o turista chega fica naquela dúvida de onde parar.

Gosto muito da Cabana Guarani que é super tradicional aqui na região, muito conhecida. Por isso decidi escrever sobre esta outra que é um pouco mais adiante. Foi sem querer que descobrimos a Cabana Espelho Dágua. Estávamos procurando Guaiamum cevado, pois o barzinho Mirante que somos clientes fiéis estava fechado. Vimos a Placa e pimba!!!

Paramos no susto mesmo. Quando saltamos, a surpresa: um aquário enorme, o viveiro com Guaiamuns gigantes, imensos. Já expliquei aqui em outro post sobre o nosso caranguejo azul , se você nunca provou, se abra ao novo!!!!

A cozinha da cabana é muito boa, tempero  muito saboroso mesmo. Pedimos sempre guaiamum com pirão e vinagrete. Foi barato e gostoso. A partir deste dia, sábado e domingo comemos guaiamum na Espelho Dágua e almoçamos também, peixe frito e moquecas boas e bem servidos. Já levamos amigos que também gostaram. Vivemos tanto tempo na Cidade e acabamos por ter os mesmos hábitos, mesma cabana, mudar foi interessante.

Banheiro é limpo e o cardápio é variado. Cerveja sempre gelada e os garçons muito simpáticos, em especial o Mateus que é puro sorriso e carisma.

Ter mudado um pouco foi bom, eu incentivo tanto os leitores aqui do Blog e os amigos a descobrir o novo, provar sabores e comidas diferentes e eu não mudava de Barraca de Praia. Enfim, agora penso em fazer um ranking das Cabanas de Praia de Ilhéus, sobre infraestrutura, banheiro, preços e cardápios. O que vocês acham? Mande suas sugestões aqui no comentário ou siga nosso Instagram @juremacintra.

pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito

como chegar: de ônibus linha para Zona Sul (Olivença, Acuípe), saltar na frente da Barraca, vá olhando as placas das Cabanas e puxe o sinal no momento que avistar. Pode também usar a linha Itabuna-Olivença intermunicipal da empresa Rota, mas será um pouco mais cara a passagem.   De carro, anote aí o endereço Rodovia Ilhéus-Olivença, km 5. Vá de Uber ou táxi  e beba tranquilo.

preço: $$

Não deixe de ler também – Giro Gastronômico Ilhéus – parte 1

Giro Gastronômico Ilhéus – Parte 2

I Love Guaiamum

Como preparar Mala – viagem calor e frio – Atacama e Uyuni

Como preparar Mala – viagem calor e frio – Atacama e Uyuni

Voltamos de uma longa viagem pela América do Sul. Antes de irmos pesquisei muito e uma dúvida que não consegui achar em outros Blogs era sobre a MALA. A viagem pelo Chile, Bolívia e Colômbia em pleno verão, nos meses de dezembro e janeiro é uma loucura. Por que a temperatura será entre -5 graus até 32 graus. Terá Deserto, Mar, Montanha. Frio e Calor. A mala é uma coisa muito importante, por que é preciso estar prevenido para todas essas situações climáticas. Decidi escrever este artigo de como preparar uma mala de viagem de Calor intenso e Frio intenso ao mesmo tempo pois foi um grande desafio.

Publicaria somente quando voltasse para mostrar como foi nossa experiência, o que erramos e o que acertamos. Tudo sobre a Expedição Sangue Latino, você acompanha aqui em nosso blog.

Primeiro, já tínhamos 1 certeza: Nós não somos mochileiros, ainda não chegamos neste nível de desprendimento, mas admiro e respeito. Então levaríamos 1 mala grande (de porão/para despachar). Compramos as passagens sempre com a taxa extra de 1 mala . Também levamos outra mala pequena de mão e 1 mochila que iriam dentro da cabine. .Gosto de seguir blogs de Mochileiros e Viajantes profissionais, a gente aprende muito.

Toda cidade que íamos, os itens, da Mala de Mão e da Mochila, eram tudo que precisaríamos para aquele determinado tipo de clima, assim, se a bagagem despachada extraviasse não seria um problema para nós.

Uma decisão difícil quando você faz uma viagem longa é que não dá para carregar souvenir, nem lembrancinhas, presentes, tampouco compras na viagem, por que não será possível extrapolar o peso da bagagem. Na América do  Sul, o limite de voo internacional é sempre 23 kg, além disso fizemos vôos internos dentro dos países e é preciso ficar atento para as regras de bagagem de cada companhia aérea. No Chile vimos muitos mochileiros terem de despachar aquelas mochilas enormes, grandes, pois estavam fora dos padrões e no balcão a taxa é sempre mais cara. Pegue uma fita métrica e veja se sua bagagem está compatível.

No vôo do Uyuni para La Paz, a companhia Amaszonas tem regras muito rígidas, pois o modelo do Jato, não comporta bagagem de mão, exceto aquelas bem pequenas mesmo. São muito exigentes, mas não cobram para despachar no porão a malinha pequena que iria na mão, pelo menos isso!!

Só que se você estiver com uma mala mais cara, mochila com pertences caros e valores, é melhor se adequar antes do embarque ou nem levar esse tipo de Mala, por que eles vão despachar no porão.

Vamos aos itens da Mala. Como vocês viram no post anterior, nosso roteiro, foi pelo Chile, Bolívia e Colômbia, passando pelas capitais, vale de vinhedos, pelo Deserto do Atacama, Salar do Uyuni e finalizando em Cartagena. O deserto mesmo no verão faz frio, devido à altitude, mas faz calor também. Tem passeios que você passa pelas 4 estações no mesmo dia: frio, neve, sol, calor, vento ameno, campos floridos, tudo ao mesmo tempo, agora. Então é aquele efeito cebola, inicia com roupa de frio e vai tirando as camadas durante o dia.

MALA GRANDE DESPACHADA:

Nossa mala, foi assim, metade com roupa de inverno esportiva, a outra metade com roupa de calor.

Fui com bem menos peso  para comprar algumas coisas em Santiago. Roupa de frio estava tudo em promoção por que era verão de 32 graus, tem até shopping somente de roupa esportiva , vale demais. Ainda tem os cartões de desconto que o turista recebe. Sempre vá no balcão de informações, faça o registro de estrangeiro e retire seu cartão e folder com os descontos especiais, neste artigo que encontrei explica tudinho . Compramos na Columbia com 30% de desconto, 2 calças esportivas e 1 casaco  duplo. O casaco de dentro é térmico, o de fora é corta vento, pode usar junto ou separado, mega-útil e prático que recomendo demais.

Nossa Lista da Roupas de Frio e roupas esportivas:

  • 1 casaco corta vento duplo Columbia
  • 2 calças esportivas impermeáveis
  • 1 bota de trekking (indispensável. Se você usar tênis comum ou de balada é um risco à sua segurança)

    Veja a situação que fica. Tênis comum estraga todo e no final vai para o lixo. Você pisará em muito sal.

  • 1 calça térmica
  • 1 blusa térmica
  • 2 meia-calça de lã
  • 1 blusa de fleece
  • 1 suéter
  • 1 calça legging
  • 1 calça preta de strech- esporte fino
  • 4 blusas sociais de Manga comprida (só levei por que alugamos apartamento em que tinha ferro de passar)
  • 1 vestido longo de algodão
  • 3 pares de meia
  • 1 tênis leve, cor escura
  • 1 sapatilha preta casual
  • 1 echarpe (não levaria, deixaria para comprar durante a viagem)
  • 1 colete esportivo, 1 colete social (NÃO LEVARIA nenhum dos dois. Muito frio, só casaco resolvia)

NÃO LEVEI CALÇA JEANS e foi a melhor escolha, iria ocupar espaço e não é confortável para calor, nem para os passeios no deserto, pois você faz muitas viagens de carro, o dia inteiro.

ESQUECI a calça de moletom para os vôos, e é item essencial.

Vá com a mala mais vazia para as compras de itens que você poderá desfrutar na viagem . O ideal é fazer a mala 1 semana antes, ver se as peças de roupa combinam e ir retirando o excesso.


Dicas de compras úteis e que usamos muito durante a viagem:

Chile – Suéter, roupas de frio e esportivas estavam muito baratas pois era verão intenso em Santiago. Calça de algodão estilo saruel também tem muita variedade e é barata;

Bolívia– artesanato e tecidos artesanais é uma loucura de bom.  Cachecol, mantos, poncho, chales e echarpes, blusas de frio, de lã, meias, podem ser adquiridos lá, logo no primeiro dia para se proteger do frio;

Colômbia– bijuterias, vestidos de verão são bonitos e baratos. As lojas de Chapéu de Bogotá existem para endoidecer qualquer mulher.

Se você não entupir sua mala com o que não vai usar, ou que não combina, terá espaço para pelo menos trazer um chale Boliviano de lã de Alpaca que é barato e lindo demais e que além disso você usará muito durante a própria viagem. As pouquíssimas coisas que conseguimos comprar foram úteis e usamos em todos os passeios.

Plaza San Francisco – La Paz

Tem de se desprender, LAVAR ROUPA, REPETIR ROUPA, COMBINAR ROUPAS, é fundamental. Tenho 3 fotos lindas com o mesmo Sweater da Ralph Lauren, e eu não tô nem aí. O importante são as lembranças e experiências incríveis que tivemos.

Nossa lista de roupas de verão e casuais:

  • 3 shorts jeans (com a consciência de hoje só levaria 2)
  • 3 camisetas de manga curta
  • 1 camiseta de alcinha
  • 1 blusa de seda
  • 1 vestido longo de algodão
  • 1 camisão branco de algodão (roupa branca é muito boa por causa do sol)
  • 3 maiôs (só levaria 2, na verdade fiquei com medo de não dá tempo de secar entre um passeio e outro)
  • 2 saídas de praia – 1 longa e 1 curta- foi útil tanto no deserto, na praia, quanto piscina e hotéis
  • 1 chinelo
  • 1 rasteirinha
  • 1 tênis vermelho casual(hoje eu não levaria – 1 tênis bem leve  como o Nike que usei é suficiente)
  • 1 top de academia (muito útil no dia do passeio de cavalo e no deserto)
  • 1 saia preta de tecido (looks de verão ou de inverno com meia calça)
  • 1 vestido curto – NÃO LEVARIA – deixaria para comprar durante a viagem, tinham muitas promoções e lojas lindas
  • 2 leggings esportivas de academia – NÃO USEI e achei inútil pois as calças esportivas te dão muito mais conforto e comidade, tem bolsos, te protege, facilita o trekking, você pode sentar em qualquer lugar e é difícil de sujar. 
  • 2 lenços – Não levaria pois deixaria para comprar durante a Viagem.
  • Roupa íntima fui bem econômica por que quase você não transpira,  então foram 10 calcinhas, 2 sutiãs comuns e 1 sem alça. .

Para fazer a mala pense se a roupa é fácil e prática de lavar, se precisa passar, por que então você terá de usar lavanderia dos prédios, ou as de rua, tudo isso demanda tempo e custo. Lavamos roupas 4 vezes. 1 em Santiago e 1 em Vina del Mar, em que usamos a lavandeira coletiva do apartamento que alugamos pelo AirBNB, era muito barato, R$5,00 a lavagem e R$5,00 para secar, máquinas grandes que davam muitos kilos. Você terá de comprar sabão e amaciante, e no mercado vende tudo em caixas pequenas, era ótimo. 1 vez em San Pedro do Atacama  usamos o serviço do Hotel, o kilo não foi caro, porém não lembro. E 1 vez em La Paz na Bolívia, usamos lavanderia de auto-serviço chamada Lavamatico, era R$23,00 para lavar e passar com sabão e amaciante deles. A bonitinha aqui que passou tudo. Tinha ferro nos apartamentos e alguns hotéis também.

Itens de saúde  – essenciais e obrigatórios:

Essa listinha acredito que seja a mais importante para viagem no deserto e em cidades de altitude e sem umidade alguma. Além disso o corpo é muito cobrado, eu usava esses itens o tempo inteiro e os 4 primeiros já andavam dentro do meu casaco, não saia sem eles no deserto de jeito algum, valendo também para  La Paz e em Bogotá por causa da altitude que castiga demais:

  • bloqueador solar para o rosto(fator mais alto que você encontrar);
  • protetor solar para corpo;
  • protetor labial(fator mais alto que encontrar) – esse levei 2, um para mim e outro para meu esposo, por que o uso é muito intenso e constante;
  • umidificante nasal – Salsep foi o que me salvou, a falta de umidade te castiga demais, você acorda à noite com o nariz entupido, ressecado, mas toda a paisagem do deserto vale o esforço;
  • hidratante corporal – coloco como item de saúde pois sua pele vai ficar num estado lastimável;
  • hidratante facial – o sol é intenso, vento também, o frio corta a pele, então proteger e hidratar o rosto também é saúde;
  • Lenços umedecidos – usará tanto para limpar a pele, como ir em banheiros;
  • Repelente (esqueci de usar 1 dia nos vinhedos do Colchagua no Chile e as picadas são molestosas , kkkk);
  • 2 óculos de Sol – é saúde para seus olhos, impossível ficar sem.

    sobrevivência básica

Itens de Beleza e Higiene 

  • Shampoo e Condicionador pequenos (pois alugamos apartamentos) – quem ficar em hotel já evita de levar esse peso
  • Máscara para cabelos
  • Reparador de pontas
  • Tônico Facial
  • Óleo Seve da Natura – maravilhoso para a pele no deserto- usei o frasco inteiro nesta viagem
  • Maquiagem- o mínimo possível- acredite, você não vai precisar de maquiagem no deserto pois terá de repassar protetor solar zilhões de vezes
  • Creme Nívea
  • Algodão em discos
  • Álcool em Gel
  • Desodorante
  • Lâmina de barbear
  • Poucas bijuterias (não deveria ter levado nenhuma – pois cada lugar bonito que passamos dá muita vontade de comprar artesanatos, brincos baratinhos, mas a gente tem de aprender na marra não é???  NUNCA MAIS  viajo com bijouterias, o legal é ir comprando nos locais turísticos, quando você volta tem muita história para contar, aquele colar de conchinhas vai te lembrar o mar de Cartagena, aquele brinco de Lapis Lazúli vai te lembrar o Chile, os brincos de tecidos coloridos à Bolívia. Já seriam algumas gramas à menos de peso. E peso é tudo que você tem de controlar nesta viagem.

Remédios

Eu já me machuquei no exterior e tive muita dificuldade de pedir remédio na farmácia em espanhol. Como tenho Renite Alérgica alguns itens já são obrigatórios em qualquer viagem(Alegra D, Busonid e Sorine). Como esta viagem foi longa, por 34 dias, levei uma farmacinha e que foi muito útil. Acreditem na Bolívia se fala 37 línguas oficiais e o espanhol na Colômbia parece um dialeto de tão diferente e difícil de audição, eu preferi ir prevenida. Para completar, 2 dias antes da viagem fiz um tratamento dentário e levei receita original na mão, pois tive de comprar Antibiótico e Anti-inflamatório. Claro que também tínhamos o Seguro Viagem, mas não queríamos nos estressar com situações do dia-a-dia que acontecem. Eu coloquei na bagagem despachada, pois nos Raio-X dos aeroportos poderia ser parada para dar explicações sobre o porquê de está levando tantos remédios diferentes. Outra coisa, eu não cortei as cartelas, deixei da forma original, pois qualquer problema a autoridade aeroportuária iria ver que era um remédio original e não uma Droga Ilícita. Em San Pedro do  Atacama a farmácia estava sempre cheia.

Não sou hipocondríaca, apenas li muitos blogs e acompanhei viagens de outras pessoas que narravam os perrengues. Minha Renite já me tirou muitos dias de alegria, então sigo à risca as recomendações médicas.

  • Alegra ou outro  anti-alérgico
  • Busonid
  • Pro-Live ou Floratil
  • Analgésico
  • Bandaid
  • Rifocina
  • Reparil (Spray como Gelol ou Cataflam só podem ir na bagagem despachada)
  • Soro de Re-hidratação Solúvel
  • Anti-inflamatório
  • Pomada dermatológica
  • Sonrisal
  • Omeprazol
  • Bismujet para aftas
  • Vick Vaporub
  • Adesivo Salonpas
  • Pílulas Soroche (comprei no Chile e foram mega-úteis)
  • Ponstan para cólicas menstrual
  • Colírio
  • Pastilha para garganta
  • Antigripal
  • Anti-térmico
  • Antibiótico(somente por causa do dente)

Esses 4 em vermelho foram os únicos que não usamos, acreditam!! Claro que sobrou muita coisa, levaria tudo de novo? SIM, só que em quantidade menor. Então seja econômico. Soro de Re-hidratação só usamos 1 saquinho que faz 1 litro; levei 4, pensando bem só levaria 2. Tudo na vida é um aprendizado.

Para ajudar na organização, vi alguns vídeos no YouTube de como dobrar roupa de forma mais compactada e comprei sacos impermeáveis na Le Biscuit. Além dos sacos Zip Locker para a bagagem de mão.

Leia tudo sobre a Expedição Sangue Latino : Chile, Bolívia e Colômbia- roteiros e preparativos

                                                                                   Programando uma longa viagem pela América do Sul- dicas

                                                                                    Réveillon em Viña del Mar

MALA DE MÃO

Sempre arrumávamos as roupas e itens que usaríamos no próximo destino para facilitar e ficar tudo à disposição. Assim mesmo que houvesse um extravio da bagagem despachada a gente não passaria sufoco.

MOCHILA

Documentos, dinheiro, carteira, algum objeto de valor, todas as Reservas impressas caso pedissem na imigração. Tenho medo do celular descarregar e aí como fica o endereço do hotel? o número da reserva? O horário da passagem?

Água, por que a hidratação é fundamental nesta viagem, é item de sobrevivência básico mesmo, senão você passa muito mal, tanto do calor no Chile, quanto a altitude no Atacama, Uyuni, La Paz e Bogotá. Nossa mochila já ia com 2 garrafinhas nas laterais.

Eletrônicos, celular, máquina, cabos, adaptador de tomada ( Ei, pesquisa sempre o modelo, ô coisa chata é chegar no destino e nada encaixar).

Kit de sobrevivência básica que era : 1 muda de roupa, 1 casaco, 1 calcinha, 1 saco zip locker com potes de 50ml de shampoo, condicionador, sabonete líquido, álcool em gel, mini pasta de dente, mini-escova, mini enxaguante bucal.

Não importa se você só vai em 1 país, em 2 ou 3, VÁ!! Divirta-se, faça imersão cultural. Experimente, conheça outras culturas, línguas, aromas e sabores, viajar é um grande conhecimento cultural, humano e espiritual. Aventurem-se e aguardo comentários com dicas e dúvidas.

Espero que tenham gostado e em breve estarei escrevendo mais e mais artigos, as memórias ainda estão muito frescas, mas a advocacia, nossa profissão e paixão nos consome por isso os textos virão aos poucos.


Jurema Cintra Barreto, é advogada, amante de viagens e apaixonada por contar histórias

Já visitou 9 países e a meta é ir ao infinito…

Reveillon em Vina del Mar

Reveillon em Vina del Mar

Grata surpresa este Reveillon que optamos por Vina Del Mar. Foi nossa quarta cidade da Expedição Sangue Latino que você acompanha nas próximas postagens.

Quando reservei pelo AirBNB o apartamento, queríamos ficar mais perto do centro, do relógio de flores, acreditando que ali seria fácil para ir ao mercado, restaurantes, bares, deslocamento para ver os fogos. Foi fácil, mas todos os outros bairros também são muito bons, pode alugar em outras praias que você vai adorar. Enfim, deslocamento no Chile é muito eficiente, seja por transporte público ou pelas estradas.

Alugamos um carro em Santiago pela O’Carrol, no aeroporto , já que teríamos de devolver lá também. Não estranhe, é off shore, não tem aqueles balcões, o rapaz estava com plaquinha e farda da empresa e nos acompanhou até o estacionamento coberto. Lá mesmo, meio improvisado, em pé, assinamos o contrato, passamos o cartão e pegamos o carro. Achamos esquisito , mas ao ver ao redor várias empresas também tinham o mesmo procedimento.

Dentro do aeroporto tinha Hertz, Localiza(as grandes) e o preço era o dobro. Fiz as reservas com meses de antecedência e pesquisei as cotações nas empresas pelo site www.kaiak.com, além de coração de passagem e hotel, ele também faz de aluguel de carro. O preço foi muito bom.

Quando li o contrato vi que a empresa O’Carrol é antiga, chilena, está em diversas cidades e é séria.

Nosso carro era novinho ! E ganhamos um upgrade gratuito e outro motorista gratuito também . Geralmente para colocar 2 motoristas habilitados o preço sobe.

O Waze nos avisava do trânsito lento, a estrada Ruta 68 é muito boa e pedagiada, mas lota, todo mundo desce para Vina Del Mar e Valparaíso. O aplicativo nos mandou ir por uma estrada vicinal e não é que chegamos super bem , vimos paisagens lindas dos Lagos e parques florestais.

Chegamos no dia 30/12 já tarde, fomos ao mercado, comprar nosso café da manhã, nos ambientar com o bairro e comprar água. Por que no Chile água é tão cara nos bares e restaurantes?? Com a pouca umidade do ar, nossa garrafinha estava sempre cheia e é item de sobrevivência básica. Comprávamos o garrafão de 6 litros e íamos repondo.

Já no dia 31/12, foi assim, às 16:00 o metrô já estava bem cheio, todos descendo com suas cadeiras, saco de salgadinho, refrigerante. Inicialmente fiquei com aquela fobia “estilo Copacabana” que seria tudo muito cheio e apertado e o povo marcando lugar 3 dias antes na praia, violência, enfim …

Não, definitivamente o Chile não é assim, tinha muita gente , são 4.000.000 de pessoas que descem para esta região, mas não se assuste.

Acreditem , ficamos na praça na frente do Cassino, só vi 1 carabineiro , policiais do Chile. Não tinha aperto, não tinha briga, nem confusão. É um Reveillon bem Familiar, diferente. As pessoas usam óculos coloridos, chapéus e serpentina igual carnaval. Soltam balões em direção ao mar, é tão bucólico.

Quando começou a queima de fogos eu entendi por que não tem aperto.

Os fogos vão de Valparaíso até Concon, então quem está em toda Cidade vê, qualquer praia de Viña, Renaca, Concon, pois são muitas balsas iguais reproduzindo os fogos. Achei isso muito democrático. Depois de conhecer Reñaca, bateu a vontade de passar Reveillon no Chile de novo, com certeza alugaria por lá pelo menos 4 dias e nem sairia do Apartamento na noite de Ano Novo. A arquitetura deste local é fantástica, não faz sombra na praia e é cheia de planos inclinados.

Assim tem espaço para todo mundo, tem muito espaço, muitas praias, muitas praças, muitos prédios de onde se vê toda queima de fogos com muita tranquilidade e Paz.

Quase comprei um pacote para ficar num restaurante com vista panorâmica, entre 500 à 1.000 reais por pessoa com jantar, ainda bem que não fiz, não vale à pena. Por que tudo lá é tranquilo. Você aluga seu apartamento e pode voltar em 5, 10 minutos à pé, tomar champanhe na rua ou em casa . É proibido beber na rua no Chile, lei seca é severa, este é o único dia de perdão. Mas não me sinto à vontade de andar com taças e copos na rua.

A maioria dos apartamentos tem terraços com piscina e dá para ver tudo lá de cima.

Eu e meu esposo fomos para praia mesmo, por que a gente gosta de saber como são as vivências do morador local. Foi muito divertido.

E a queima de fogos? É linda demais , você fica na praia, ou praça , tão perto que até parece 3D, de tão surreal. Foram 22 minutos, maior que a do Rio de Janeiro.

Lindo, lindo, lindo, ficamos extasiados.

Leia também: Expedição pela América Latina- Roteiro e Preparativos

Preparando uma longa viagem – 30 dias na América do Sul

Chile em 20 dias- roteiro e dicas

Comendo bem em Porto – Portugal

No retorno haviam muitas Vans para os bairros e as pessoas andavam em Fila, esperavam o sinal vermelho. Tudo com muita ordem, haviam muitas crianças e famílias.

Em Valparaiso não sei como foi na hora, mas como Estivemos lá durante à tarde, tem show na Praça e as vistas nos Cerros, ou mirantes, são bem disputadas. Mas repito , tem lugar para todo mundo, dá para se espalhar bem, por que tem várias balsas de fogos espalhadas por todo o litoral entre as duas cidades.

Um morador me disse assim: “Valparaiso tem show e é mais para o jovem, Vina Del Mar é mais família.”

Nós gostamos muito de Viña e o Pacífico é lindo, as fotos ficam demais.

Sobre transporte : Tem metrô e Uber e aconselho seriamente você só usar transporte público, achar um estacionamento é impossível. Vi que na virada em Valparaiso custava 150 reais o estacionamento pago bem na frente da Plaza .

Até no dia 1 de janeiro se quiser passear e ir para Reñaca, vá de Uber, você não encontra nenhum lugar para parar e as multas são altíssimas, a fiscalização é rigorosa. A fila para os estacionamentos abertos na praia eram imensas. Dirigimos mais de 1 hora e não achamos lugar nenhum para parar. O jeito foi voltar para o Apartamento que tinha vaga privativa de estacionamento e andamos pela avenida principal. Quer ganhar desconto no seu aluguel em Vina del Mar pelo Airbnb? Clica aqui e aproveita, o site é muito bom e super seguro.

E no dia 02/01 nossa aventura seguiu para o norte, fomos visitar o Atacama, o que você confere no próximo post da Expedição Sangue Latino.

Quer saber mais? Quer ver mais fotos de como foi essa viagem linda pelo Chile? Curte nossa redes sociais . Instagram: @juremacintra