ROTA DO CHOCOLATE: Visitando a Fazenda Capela Velha

ROTA DO CHOCOLATE: Visitando a Fazenda Capela Velha

Sai de Ilhéus 01 hora antes do horário agendado. Foi o suficiente. Estava de carro baixo e não tem problema , por que é pertinho da pista. De ônibus acho inviável, melhor acertar transfer ou pacote com alguma agência de turismo, a Fazenda deve indicar . Por isso lembro o quanto é legal alugar um carro em Ilhéus; dá para ir para às praias do Norte de manhã, almoçar e depois visitar a Fazenda de tarde, ou ao contrário.

A estrada Ilhéus/Uruçuca é sempre um deleite de muito verde. O mapa fornecido pelos proprietários funcionou direitinho. É zona Rural, então tudo tem de ser agendado pelo Instagram ou Zap (073-99030123).

É fazenda, é zona rural, é passeio ao ar livre. Dá para ir de chinelo? Até que dá, mas não é mais confortável nem indicado. Pisar no mato em segurança e sem molhar os pés é ótimo. Fui num dia de chuva belíssimo, e estar de bota facilitou. Nada que um tênis não resolva.

Ainda digo mais, se quiser fazer um book lindo no verde das roças de cacau, pensa o lugar ideal. Não sei por que os fotógrafos daqui não vendem combo ou experiência no Airbnb. Não sei mesmo. Já fiz tour fotográfico e é muito massa. Diversão com registros belíssimos.

A entrada da Fazenda já aquela beleza, patos selvagens no lago, ô deleite.

A casa principal e os anexos, é tudo tão florido.

Esperei um pouco até os outros visitantes chegar. Visitei na Pandemia e achei seguro, tudo ao ar livre, máscara e bastante distanciamento.

Começam as explicações e degustações, o Cacau Chá é delicioso, sai de lá já com a encomenda de uma boa quantidade à granel.

Mesmo num dia de chuva é um passeio muito bom. Eles tem guarda-chuva e nada atrapalha a diversão. Aliás as fotos ficaram lindas. Aliás pense num lugar lindo para fazer book de fotos de sua viagem ou data especial. Eu amo fotos na Mata Atlântica ou na Cabruca.

Mesmo morando aqui há 22 anos sempre é um prazer visitar uma Fazenda de Cacau. Se você não conhece o processo de fabricação do chocolate, vale demais o passeio, pela história, pela cultura, pelo conhecimento e pela diversão em comer tanta coisa gostosa.

Vamos correr roça. Provar o fruto. ver o maquinário.

cacau cocoa

Depois conhecemos a produção, uma fábrica moderna, toda envidraçada em que a produção Bean to Bar é colocada em outro patamar de extrema qualidade.

Terminamos novamente na Recepção que era o antigo secador de Cacau e podemos desfrutar da Lojinha. Levem grana extra por que a FEIRA é providencial. Se estiver de carro leve seu Isopor ou Bolsa Térmica.

  • Barrinhas de chocolate deliciosas
  • Mel de Cacau
  • Geléias
  • Licor de Mel de Cacau (finíssimo), pensa num presente lindo para um amigo e tem vários tamanhos.
  • Cacau chá

Já falei aqui que eu amo chá e viciei comprar em todas as viagens, lembrança bem melhor que quinquilharias que vão empoeirar na estante. Não podia ser diferente aqui na minha cidade. Estou viciada num blend que eu mesma criei. Uma colherinha de chá preto e 3 de casca de cacau, hummmm, …

Passeio delicioso, aceitam cartão e os proprietários são muito simpáticos. Ilhéus não é só praia, é cultura, memória, gastronomia e ecoturismo.

Leia também: Visitando a Fazenda Yrerê

Ilhéus terra do Cacau e Chocolate?

ODE ao Mel de Cacau

ODE ao Mel de Cacau

Estava muito ansiosa para escrever, cheguei em casa morta de vontade de colocar para fora o meu amor ao Mel de Cacau. Li num site que Suco de Cacau era quase a mesma coisa que o mel e isso mexeu comigo, muito profundamente, então vamos à ODE.

Ó Mel de Cacau

Ó líquido que escorre silenciosamente do fruto ouro.

Quando o facão afiado rompe a casca, tu estás ainda adormecido

Ó tempo, ó céu, ó vento, açoita a polpa branca tão sutilmente, e o faz despertar

Só o olhar atencioso do peão debaixo do cacaueiro é capaz de notar que tu estás ali

Latente, inerte, pronto para irromper

As amêndoas, amontoadas.

Ó tu, que repousas nas folhas de bananeira

Meticulosamente, empiricamente, poeticamente inclinadas nas madeiras calejadas

O tempo… vai mostrando tua mais pura forma

pelas folhas de banana escorrendo até os potes improvisados te encontrar

Tua límpida preciosidade aparecendo em forma de mel

Mel de Cacau, agora eu te vejo, líquido e também viscoso

Não tão consistente como das abelhas, tuas irmãs de mata

Não tão aquoso.

Oras, não és água?

Oras, não és mel?

Doce, muito doce, dulcíssimo e azedo

Tanta paciência para te esperar

tanta pressa para te provar

O tempo te castiga, logo se perde

Não se tem mais nada a perder

Urge te beber, urge se deliciar contigo

Da frieza da folha de banana, o calor em minutos te fermenta

Corre, apressa-te, o Mel está pronto

Tu que és doce e azedo

Tu que és viscoso e aquoso

Tu que serve da geleia ao molho de peixe

Tu que vai do doce ao salgado

Tu que és paradoxal

Tu que és pura dicotomia

Tu que és antagônico

Tu que reúne tudo em um único momento sublime de ser

Mel de Cacau GRAPIÚNA.

Por Jurema Cintra Barreto, advogada militante, viajante, e apaixonada pelas riquezas do Sul da Bahia