Onde foi gravada a Novela Renascer ? Conheça as locações.

Onde foi gravada a Novela Renascer ? Conheça as locações.

Que tal fazer um viagem turística inspirada na Novela Renascer que está ganhando um Remake? Na década de 90 a cidade de Ilhéus bombou de turistas querendo conhecer esta terra rica do cacau, e isso marcou a vida de muitos espectadores, atores que ficaram muito famosos e moradores.

São 30 anos de mudanças, principalmente econômicas, mas o trailler da novela já nos dá sinais e aqui no blog tem tudo explicadinho sobre os locais turísticos que vão estar na telinha, eu sou advogada, moro em Ilhéus há 25 anos e vi tudo com meus olhos, afinal a equipe estava pertinho de nosso escritório.

Que tal passear no centro histórico de Ilhéus , a casa de Jorge Amado, Vesúvio igual os atores? Clique aqui e saiba tudinho.

E provar comida árabe no Vesúvio igual Marcos Palmeiras, melhor igual Zé Inocêncio e Mariana ? Clique aqui

E aquela praia e restaurante deslumbrante onde Zé Inocêncio e Mariana tem um encontro romântico com pratos lindos na mesa, comida exuberante e música ? Clique aqui e saiba tudo sobre esse restaurante com chef famosa e um paisagismo de cair o queixo.

Tudo na primeira fase se ambienta em muita natureza na Mata Atlântica, aquela cena linda dos barcos … sabia que você pode passear por aquela lagoa e ter a mesma sensação dos atores ? Clique aqui e saiba onde está aquela água mágica e encantada.

Os atores estão tomando Mel de Cacau na Cumbuca do fruto, você sabe que bebida mágica é essa ? Clique aqui e descubra esta delícia que você só pode provar no Sul da Bahia.

E claro, você quer visitar as Fazendas de Cacau do Coronelzinho ??? Clica aqui e conheça as mais famosas

Ficou com vontade de conhecer Ilhéus? Nosso site tem muito conteúdo sobre Sul da Bahia

No Instagram @juremacintra, você conhece o dia-a-dia de nossa cidade, segue lá.

Comida árabe em Ilhéus – a paixão da quarta-feira

Comida árabe em Ilhéus – a paixão da quarta-feira

É super tradicional em Ilhéus a comida árabe, tivemos migração de povos da Síria, Turquia e Líbano, isso bem retratado nos livros de Jorge Amado como Terras do Sem Fim, Gabriela Cravo e Canela e A descoberta da América pelos turcos, São Jorge dos Ilhéus, vale a leitura, além claro de diversas produções científicas de egressos da Universidade Estadual de Santa Cruz- UESC, onde estudei Direito.

Uma história interessante que precisa ser contada e celebrada, que faz parte do amálgama Grapiúna, nem todos os guias exploram este potencial como produto turístico. A culinária e gastronomia trazem esses marcos culturais. Desde que cheguei aqui, na primeira viagem para fazer vestibular, fui no Sheik, que era numa casa linda no Outeiro de São Sebastião, hoje uma casa residencial, e fiquei apaixonada, nos autos de meus 19 anos, nunca tinha provado nada além de Quibe, e, AMEI.

Chegando aqui, definitivamente, para morar, descobrir os cantinhos interessantes e visitas nas casas dos amigos, cada delícia de morrer de gula, um universo mágico se abriu para mim, existem estabelecimentos em vários bairros.

Antes tinha buffet árabe no Iate, já falei aqui, mas parou por causa da pandemia e sinto falta, não deixem de conhecer o cardápio de lá, que o ambiente vale muito e é aberto ao público geral.

Eis que o Vesúvio, bar de 1919, famoso pelo Livro Gabriela Cravo e Canela, polêmico entre os moradores tradicionais da cidade, eis que este mesmo Vesúvio adota o buffet à kilo no horário de almoço e na quarta-feira é árabe !!!! Além das variedades, para todos os públicos, inclusive veganos e vegetarianos, tem a parte de comida árabe.

Amo quibe cru, tabule, pasta de grão de bico e coalhada seca, geléia de pimenta doce, charutinho, carneiro e pães sírios. Tudo é tão bom, arroz com lentilha, quibe de forno, kafta, se você não conhece, peça ajuda ao garçom ou as ajudantes, as vezes penso que certas comidas deveriam vir com manual de instruções …(caranguejo mesmo). Um dia na fila fui dizendo o que era cada coisa para a turista, no final , ela veio na minha mesa agradecer, amou tudo e sem eu ter dito, ela disse que passaria ser provar, iria no tradicional “feijão com arroz”, e fico a pensar o quanto a gente não está disposta a mudar, a provar, a se abrir ao novo, a conhecer, o quanto nos fechamos na zona de conforto esquisita.

Comida árabe no Vesúvio

Tem quarta feira que estou lá sentadinha sozinha e fico só vendo os turistas pedindo La Carte, me dá um nervoso, o garçom não avisa .. sei lá, um dia me intrometi mesmo, como boa baiana, que roda a saia: EU MOÇO, DEIXA EU TE FALAR , HOJE É BUFFET ÁRABE MARAVILHOSO, COMA BEM E MAIS BARATO, por que eles iam pedir batata frita e carne gente … me poupe, ou me poupo mesmo, que não tenho nada haver com as escolhas alheias, mas por vezes é falta de informação TURÍSTICA. Sim, culinária e gastronomia é o turismo no esplendor de sabor.

Juro que uma amiga passou 10 dias nos EUA e disse que estava com saudade de comida brasileira, eu quase morri. Ela estava em Orlando, onde tem culinária do mundo inteiro e só comia hambúrguer com batata frita, deve dar saudade mesmo … mas não é por que a comida de Orlando é ruim, é por que ela não foi no mercado, não cozinhou, não foi em food truck, não foi em restaurantes badalados na Disney, não parou de surpresa num bairro, ela não inovou, não se abriu, então come mal. me julguemmmmmm ahhhhhhhh

Voltando ao Vesúvio, é comida no kilo, então peguem pouco e depois repitam e tripitir tá valendo … kkk, amo muito repetir comida árabe, dá para tomar um chopinho e desfrutar no kibe cru, e ir indo … até chegar no carneiro e arroz com lentilha.

Não deixem de provar os drinks de Mel de Cacau, já falei aqui o que é essa bebida dos deuses ou o Suco de Morango com Laranja, delicinha e instagramável.

Deixo a fotinho da nota fiscal e lembre-se de pedir para colocar seu CPF e gerar cupons no Programa Nota premiada da Bahia. Além disso que sempre pego Nota fiscal em todo lugar que passo, e quando sou turista ainda mais, para gerar divisas no local, pedindo a nota no hotel, posto de gasolina, etc, geramos impostos para o Município e isso movimenta a economia local.

Estando em Ilhéus comam comida árabe

Leia também : Tudo que você precisa saber de Ilhéus – FAQ Ilhéus

Comida baiana em Ilhéus

As melhores moquecas de Ilhéus

FAQ ILHÉUS

FAQ ILHÉUS

FIZ UMA LISTINHA e link úteis das principais dúvidas que chegam aqui NO BLOG e no Instagram @juremacintra

Transporte na Cidade de Ilhéus

  • Uber é bom para ir aos destinos do centro, Malhado, Praias do Sul, contudo quanto mais distante, mais difícil será a volta, então se você estiver indo para o Hotel Canabrava ou Hotel Tororomba acerte logo a volta, senão ficará com angústia, dependendo de transfer caro, ou do ônibus que demora.
  • Transporte Público chega nos pontos turísticos, mas se prepare para o calor e demora, infelizmente não pensam na mobilidade urbana de massa na cidade.
  • Táxi, tem taxímetro e cuidado com propostas por fora. Negociar é bom, mas eu só confio nos meus clientes taxistas que indico aqui Madureira (073-999818910) e Valdemir (73-991078564)
  • Rodoviária é a porta de entrada para Camamu(Barra Grande) e Itacaré, empresas de ônibus e horários tem nos sites da Rota Transportes, Cidade Sol e Águia Branca;
  • Perto da rodoviária não tem hotéis nem lugares para madrugar até pegar o ônibus, vai chegar tarde e pretende viajar no outro dia? Já falei aqui de pousadas baratas no bairro Pontal, têm ônibus cedinho e a linha do trabsporte público é a “TEOTÔNIO VILELA”;
  • Praias : são todas acessíveis de carro ou ônibus, algumas com barracas e outras bem isoladas, cuidado ao parar carro em local deserto demais, já rolou assaltos e até estupro;
  • Supermercados: temos todas as grandes redes atacadistas, vindo pela BR 415 temos Atacadão , aqui no Sul o Assaí e outro Atacadão e no Pontal , o G Barbosa, mas gosto mesmo de valorizar as feiras livres como Malhado, Guanabara e Urbis. Mercados pequenos e empórios são muitos e espalhados pela cidade;
  • City Tour, vale muito a pena. Se você anda sozinho vai achar que Ilhéus não tem nada, já que a Prefeitura não tem política de turismo séria, e estamos em 2023. Então sempre indico o Guia Gregório 073-99869-2144 ele te mostrará as entrelinhas por trás de cada cantinho do centro histórico, é muita coisa interessante.
  • Museus: Museu da Capitania, Memorial da Piedade(pequeno mas bonito), Casa de Jorge Amado;
  • Mala de Viagem: o que não pode faltar é Tênis, Sandália, protetor solar, um xale ou blusinha de frio que de noite pode ventar, uma roupa de trilha leve, biquíni e tchau. Faz calor o ano todo, mas os dias de frio podem acontecer.
  • Passeios de barco e observação de baleias: Ecosul Turismo: 73-99977-6437 ou Babito : 73-99979-7753
  • Chocolates: Visitem as fábricas de chocolate Bean To Bar e provem chocolate fino, não são caseiros, são finos pois as amêndoas são selecionadas e o modo de fabricação seguem critérios rigorosos.
  • Por do Sol: no bairro Sapetinga e embaixo da ponte Estaida Jorge Amado, na Praça Mãe Laura, tem barzinho e food trucks, é lindo de encher o coração. Se estiver de carro, vaia dica: piquenique na Sapetinga com vinho e aperitivos.
  • Ponte e trânsito: desde julho de 2020 já tem a ponte nova, mas não se engane, aqui tem protesto e se planejem, usem o waze quando for para aeroporto, mas agora temos mais 1 opção;
  • Surf: Ilhéus é PICO, já temos a IOS Surf House, com hospedagem, loja e pranchas, aulas particular procurem Gabriel Macedo – 073-991925555 ou pelo Instagram Xpro surf . As praias mais badaladas são a Praia da Avenida na frente do GAP, onde já tem o Caminho do Mar, Pedra da Cachorra, na frente da Pousada Costa do Cacau, Backdoor em Olivença
  • Hospitais : Hospital São José no centro da Cidade atende SUS e o Hospital Costa do Cacau na rodovia BR 415, e particular Hospital de Ilhéus na Cidade Nova. Cartão do SUS sempre é útil.
SUCO DE CACAU

SUCO DE CACAU

ou, por que nossas bebidas baianas não são produtos turísticos ?

Criaturas…………………. por que SUCO DE CACAU não é um produto turístico como é o Vinho da Europa, o Licor de Curaçao, e o Whisky da Escócia ????

Conhecer o fruto de cacau é algo bem específico, por que a amêndoa é tão preciosa economicamente que não é fácil achar para comprar fora das cidades produtoras que estão na Amazônia e na Mata Atlântica, Estado da Bahia principalmente. Ou seja, não é um fruto usual de se ver, não é fruta rara, mas, é raro achar pontos de venda.

O Cacau é o “fruto ouro” e sua polpa não era tão valorizada outrora, já que sua amêndoa seca é comoditie vendida em dólar para gerar o chocolate.

Quando eu viajo quero comer tudo que é típico do local, principalmente as FRUTAS, e daí que não vejo Tour do CACAU aqui. Nas Fazendas como Yrerê e Capela Velha o turista tem opção de experimentar, mas deveria ser algo MUITO MAIS USUAL, cadê os drinks dentro do cacau ? Cadê as comidas dentro da cumbuca de cacau ?

E o Suco de Cacau deveria ter um marketing só dele, assim como o Mel de Cacau e eu já fiz poema e tudo mais.

Sabe o marketing das grandes marcas que separa por produto, tem equipe só pro Kit Kat, tem equipe só para o Sonho de Valsa, tinha de ter equipe da Secretaria de Turismo só para Cacau e Suco e Mel.

O Suco de Cacau de Ilhéus e da região Sul da Bahia será o melhor que você já tomará em toda sua vida. A polpa é densa, grossa, branca , fresca, é impossível comparar com uma polpa pasteurizada de saquinho de supermercado(éca), eu detesto comida embrulhada em plástico, mal do século, poluidor dos mares.

O Suco de Cacau de Ilhéus deveria estar num pedestal, deveria ter shot de suco nas lanchonetes. Sabe aquela degustação de cerveja artesanal que fazemos naqueles copos pequenos ? Deveria ter de sucos. Um shot de cacau puro, de cacau com açúcar, de cacau com leite , de mel de cacau, de suco de graviola e suco de cupuaçu.

Imagina o turista estrangeiro que mora num clima temperado ou desértico com pouca diversidade. Fui na Europa e EUA e só via suco de laranja e maçã, pois suco de uva em região viticultora é quase um crime.

Daí que vou elencar minhas “Sucarias” preferidas e quem sabe incentiva você que está lendo a provar e melhor, incentivar os guias e a diversificarem suas opções.

NATUREZA VIVA

Fica na BR 101 , em Ibirapitanga, ambiente é lindo e o Suco de Cacau com Nibs é dos deuses, está vindo de carro para o Sul da Bahia, não esqueça de parar lá.

ISAC LANCHES

Na entrada de Ipiáu, a lanchonete tem placa grande, sempre que vamos para Jequié trabalhar ou para Chapada Diamantina ver a família paramos lá. O Suco de Cacau normal, cacau com leite e o irresistível Cacau com Laranja, é tão denso e saboroso, uma iguaria.

CABANA DA EMPADA

A Carta de sucos é meu sonho de consumo. Adoro Cacau com Amora, Cacau com Capim Santo e tudo ali pode adicionar vodka e virar drink. O esmero como fazem as polpas das frutas naturais é excepcional, outro dia conversava com a proprietária, senhora Vani, tudo é comprado fresco, higienizado, pesado e congelado, ou seja, é fruta fresca.

Cardápio de sucos- Cabana da empada – Ilhéus- Bahia

BERIMBAU

Em Ilhéus no Centro da Cidade, no Calçadão da Marques de Paranaguá, é um ambiente muito frequentado pelos locais e já passou da Hora dos Turistas desfrutarem de lanches gostosos, boa comida à kilo, sempre com opções baianas, e os SUCOS, são muitos. Eu gosto de Suco de Lima com pouco açúcar e Cacau , claro.

Certa feita sentada ali nas mesas compartilhadas, bati papo com turistas que me perguntaram: que tem de diferente pra fazer aqui? Eu disse : Já provaram suco de cacau? Ele estranhou, por que suco não é um `passeio tradicional”, mas se o ingleses vendem o “chá da tarde” como atração, por que não vendermos o “Suco de Cacau ” de Ilhéus ??? É descolonizador isso. Pois bem sabe qual foi a resposta da pessoa ???

  • EU NÃO GOSTO DE TOMAR CHOCOLATE ….

Êita, eu me vi atordoada, então fui explicar sobre o fruto, a polpa branca, o suco fresco da fruta, daí eles gostaram e indiquei meu blog, mas demorei tantos anos para escrever este artigo, e daí surgia a frase: SUCO DE CACAU NÃO É TODINHO.

Ok !!!!

Leia mais sobre Ilhéus e venha desfrutar as riquezas do Sul da Bahia

As melhores moquecas de Ilhéus

Opções Veganas e Vegetarianas em Ilhéus

Pousadas Mais Baratas de Ilhéus

Bistrô da Onça – para além do Vale do Capão

Bistrô da Onça – para além do Vale do Capão

Tempos que não tinha uma experiência gastronômica tão intensa.

E foi muito especial, por que nasci em Seabra na Chapada Diamantina, região belíssima no Centro da Bahia, nem sempre fácil de chegar e que já falei aqui sobre os caminhos.

Paraíso de Cachoeiras, trilhas, montanhas e paisagens deslumbrantes. De um povo criativo e uma culinária riquíssima.

Visitando os familiares na semana Santa, meu adorado primo agendou um almoço no Bistrô da Onça. Disse que eu iria gostar muito, que estava viajando demais para o exterior e precisava redescobrir a Chapada. Em parte tinha razão, por que estamos desbravando terras estrangeiras , contudo me sinto cidadã no mundo, onde estas fronteiras não existem.

11 horas da manhã saímos de Seabra, rumo 38 km para Palmeiras, via BR 242. Quem já está no Vale do Capão precisará de carro ou transfer.

Meu primo ia me contando no caminho e eu ficava cada vez mais ansiosa. Conhecer um restaurante no meio do mato, numa serra, ele me alertou: – comida vegetariana viu? mas se come muito.

Eu adoro comida vegana e vegetariana, aliás adoramos comer, o que importa é está gostosa. Como ele já tinha ido com a esposa outras vezes foram rasgando elogios aos donos.

Quando chegamos em Palmeiras, cidade que adoro e tem a casa mais linda da Chapada(no meu modesto entendimento), seguimos a sinalização no sentido do Capão. Quando termina o calçamento terá uma placa, então vire à DIREITA :

Resultado de imagem para vale do capão guine placa

foto: seligachapada.com.br

São mais 08 km adentro de estrada de chão. Carros muito baixos podem ter dificuldade.

É aparentemente longe, meio do mato, mas vale cada minuto da jornada.

Começam as placas do Bistrô da Onça, tem muitas indicações, até chegar no estacionamento.  Nosite do restaurante tem tudo bem descrito, não tem dificuldade.

A chegada já é uma surpresa, pois tem de deixar o carro 250 metros antes e ir andando. Você conhecerá a Horta orgânica, sintrópica de onde vem praticamente tudo que é servido nas mesas. Curiosa que sou, entrei e vi tudo, os processos agroecológicos, identifiquei um montão de coisas legais, a cobertura vegetal com palha de arroz vermelho, a cerca verde de palma, o galinheiro, as plantas misturadas seguindo a lógica da sintropia. Nem conversei sobre isso com os proprietários, espero estar certa… encontrar restaurantes que pensem em sustentabilidade é sempre um prazer, já escrevemo sobre este tema.

Só com reserva via Zap ou Facebook por que são apenas 4 mesas, tudo muito exclusivo e preparado na hora.

Amando tudo, desde a entrada, a casa numa arquitetura que dialoga com a mata, com a natureza,  banheiro todo aberto com vista para a serra.

Adega com rótulos incríveis e baratos, em comparação à distância, 100, 120 reais e aceita cartão. Pois é, lá nomeio da serra, a internet e a tecnologia nos unindo a Carlos e Jeff. Os proprietários e chefs que fazem tudo ali mesmo numa cozinha aberta. Nem vou colocar tantas fotos que é para não estragar o momento.

Queria comer daquela forma todos os dias, quanto primor, beleza, bom gosto, sabor intenso e marcante. AMAMOS!! Toda vez que for em Seabra terei de reservar um dia lá. Você que vai pro Vale do Capão, é perto  e incrível, aluga um carro por 1 dia, contrata um transfer, ajusta horários, por que é um passeio imperdível para tarde toda. Chegamos por volta das 13:00 e só saímos 16:40. Aliás alugar um carro para visitar a Chapada é providencial por que te dá muito mais mobilidade  para percorrer a zona rural de diversas cidades.

Como foram os pratos:

  • Chá gelado à vontade
  • Entrada/aperitivos
  • Sopa 
  • Salada com folhas e flores colhidos na hora 
  • Prato principal com pão Chapati  
  • Sobremesa
  • Claro- um bom brinde com vinho Argentino para homenagear o Carlos, que saiu da Argentina e veio nos presentear com tamanho bom gosto.

Ainda estou com os sabores e aromas na mente, impregnados. O cardápio depende da estação, da sazonalidade, tudo ali respeita a natureza e o ciclo da vida. Imagina minha angústia em saber que cada vez que formos terá pratos diferentes, minha nossa !!! A memória gustativa é algo muito forte e intenso, a salada com mostarda negra crocante e molho de vinagre de abacaxi e mostarda artesanal, me marcou muito. Também a sopa de cenoura que conseguiu ser tão boa quanto a da Bar Sete Maravilhas no Porto que já contei aqui.

O banheiro é um espetáculo a parte, a casa, a vista, a visão panorâmica da serra da Guiné, entrada para o Vale do Pati. Tudo perfeito. Na porta vimos uma revista aberta, da Azul. Adoro revista de avião, a gente descobre muita coisa escondidinha e tinha uma reportagem belíssima sobre o Bistrô da Onça, que você pode acessar aqui.

Últimas informações, como os donos trabalham sozinhos é preciso verificar antes os dias de funcionamento, em março de 2018 quando estivemos lá só funcionava de quinta à domingo. Tem de reservar pelo Zap ou Facebook, ligue antes para não haver imprevistos. Aberto apenas para almoço. Valor fixo por pessoa é de 100 reais em 2018.(vale cada centavo, muita comida de excelente qualidade – gente COMI DEMAIS). Aceita cartão de débito ou crédito. Comida Vegetariana, mas acredite você nem sentirá falta da carne. Nada como tirar 1 dia e comer algo diferente e muito saudável. A Chapada Diamantina é muito grande e diversa. Vale do capão é muito mais que somente a Vila. A Guiné tem seus encantos de vilarejo pequeno e agora tem restaurante digno de qualquer capital. Aventure-se para além do básico e #botarodinhanospés

Leia também : Caminhos para Chapada Diamantina- rodovias pela Bahia

                           Restaurantes e Sustentabilidade

                           Dicas de Ilhéus- curtindo as prais no verão

                           Ilhéus- Giro Gastronômico

Acompanhe nosso Instagram: @juremacintra – Advogada que Viaja